quinta-feira, 9 de julho de 2009

Paraíso

Estar numa varanda.

Ver o dia a nascer.

Descascar e comer uma laranja em jejum.

Ter á frente a planície alentejana.


Sentir a frescura da noite que se despede da terra e, trazida pela brisa, afaga-me a cara antes de se dissolver no alto; ver a luminosidade do dia a piscar os olhos, ainda sonolentos, ao mesmo tempo que inunda todos os reguinhos do solo.


O paraíso existe. Está na planície alentejana.

(Meu Deus, como tinha tantas saudades tuas, terra da minh’alma!)


8 comentários:

F3lixP disse...

A ler-te até me apeteceu ir passar uns dias ao Alentejo! Hei-de lá passar durante as férias para mostrar Portugal ao namorado, Évora e Reguengos de Mosaraz na calha! ;)
Abraço

Tongzhi disse...

Uma excelente descrição! Até se sente a aragem e o cheiro da laranja!
Também eu queria estar agora no Alentejo, junto de alguém que lá está.
Abraço

Violeta disse...

Aproveita o calorzinho alentejanos...
bjs e fica bem.

altar disse...

O Alentejo tem esta coisa estranha de nos fazer querer ficar... Eu sinto sempre que cheguei a casa...
Um dia, tenho esperança, hei-de ir e ficar para sempre perdido/achado no meio da planície.

Violeta disse...

passei para desejar boas férias
Até breve!

pinguim disse...

Presumo que estejas na Moura encantada...
Umas boas e merecidas férias, e se tiveres oportunidade dá um salto a Serpa e deixa lá um beijo meu...
Abraço amigo.

Socrates daSilva disse...

F3lixP,
Que belos locais escolhes-te! Claro que poderia acrescentar algumas localidades, mas o que é bom é para saborear com traquilidade. Évora e Reguengos têm “pano para mangas”. Boas férias!
Abraço!


Tongzhi,
Isso é que se chama “juntar o útil ao agradável”; aliás pelo que me parece é mais juntar o agradável ao agradável.
Abraço!


Violeta,
Do Alentejo aproveito tudo e fico sempre a querer mais.
:-)
Boas férias também. Bjs


Altar,
É isso mesmo, sem tirar nem pôr. Custa-me sempre ir embora dessa terra, para mim, apelativa e hipnotizante. Acho que um dia fico mesmo lá perdido.
Abraço!


Pinguim,
Como dizem naquele jogo do lenço queimado, neste caso, "frio, frio…" Mas, em breve passarei lá com toda a certeza.
Abraço!

Daniel Silva (Lobinho) disse...

"Sentir a frescura da noite que se despede da terra e, trazida pela brisa, afaga-me a cara antes de se dissolver no alto; ver a luminosidade do dia a piscar os olhos, ainda sonolentos"

Conheço a sensação. É uma sensação de paz, de recomeço.

É lindo.

Abraço