quinta-feira, 30 de julho de 2009

Casca

Sempre acreditei que são as coisas que não escolhemos que nos tornam aquilo que somos.

A nossa cidade.
O nosso bairro.
A nossa familia.

...as pessoas orgulham-se dessas coisas. Como se fossem feitos seus.
Os corpos que envolvem as suas almas. As cidades em torno delas.

(Filme "Gone Baby Gone", de Ben Affleck)

3 comentários:

Vasco Gamito disse...

Talvez seja por isso que, por vezes, pode ser interessante deixarmo-nos levar por certos acasos. É aquela cena dos sinais mas ao contrário... ;) Abraço!

pinguim disse...

Isso é verdade, pois podemos estar longe da terra, ter vontade de a deixar, mas sempre a defendemos.
E quanto à família, há por vezes zangas, mil chatices, mas que ninguém ouse dizer mal dela...
Abraço amigo.

Socrates daSilva disse...

Vasco,
O que está na alma de alguém, na sua essência, por vezes é tão diferente do que aparenta...
Não porque exista um esforço de ocultação, de enganar os outros, mas pelas condicionantes daquelas coisas que não escolhemos e temos à nossa volta. Claro que depois existe o caminho de auto conhecimento e o que se faz com ele.
Abraço!


Pinguim,
A terra e o sangue falam muito alto, sem duvida! Para o bem e para o mal...
Abraço!