quarta-feira, 30 de janeiro de 2008

Amo, desejo, quero


(…)
Há sem dúvida quem ame o infinito,
Há sem dúvida quem deseje o impossível,
Há sem dúvida quem não queira nada –

Três tipos de idealistas, e eu nenhum deles:

Porque eu amo infinitamente o finito,
Porque eu desejo impossivelmente o possível,
Porque eu quero tudo, ou um pouco mais, se puder ser,
Ou até se não puder ser...

(Álvaro de Campos)

2 comentários:

rato do campo disse...

Uma excelente escolha, meu amigo! Estamos lá! Abraço!

socrates dasilva disse...

rato do campo,
como eu entendo tão bem o alvaro de campos...
abraço