segunda-feira, 14 de janeiro de 2008

Liberdade?

Hoje estou farto. Farto nem sei de quê.
Cada vez que escuto uma retórica “pró-liberdade de escolha” revolto-me. Apetece-me bater em alguém (se calhar em mim mesmo!)

Seremos mesmo livres de escolher o que queremos? Por que escolhemos? Por que somos frustrados quando estamos condicionados?

Por que tenho uma vida que não escolhi? Por que tenho coisas que gostava de mudar em mim e não consigo? Se fosse livre não agia como queria?
Por que tenho que me conhecer e descobrir quem sou e então tomar decisões que me deixem em paz comigo?

Quem definiu as minhas preferências? Alguém quis saber a minha opinião?
Quem escolheu as minhas circunstancias? Quem me deu os dons e os defeitos?
Quem me pregou partidas tão miseráveis?

Liberdade…
Existirá alguém que seja realmente livre?

Existirá é pessoas que podem fazer livremente aquilo que as circunstâncias da vida o programaram a ser. Mas, se isso é liberdade…

Hoje estou farto. Estou farto das circunstâncias da minha vida.
Estou farto de não poder realmente escolher. De ter que me entender e procurar o caminho que devo seguir e não o que queria.

Talvez um dia entenda a minha vida de outra maneira e ache que foi melhor assim. Talvez um dia esteja em paz comigo. Talvez um dia conheça as regras que tenho de seguir para ser feliz e pensar que sou livre.

Hoje não é um bom dia para ser a companhia de alguém. Hoje não é um bom dia para escrever uma pagina de um blog.

2 comentários:

Paulo disse...

Acho que é preferível viver o presente que imaginar que o futuro será generoso e recompensará as falhas do presente. Mas tb sei que nem sempre isso é possível. De facto, nem sempre temos liberdade simplesmente porque não há opções.
Boa sorte e um abraço

socrates dasilva disse...

paulo
as opções são todas dificeis, a realidade é um pesadelo, mas parado é que não se resolve nada. Isto está uma embrulhada, mas "amanhã é outro dia". abraço