sexta-feira, 21 de março de 2008

Leio-te

Leio-te
Agora sei que era a tua voz que me seguia
pelas esplanadas de cio
sem palavras
A voz do tempo onde
o silêncio se sente como agulhas
picando os lábios
lentas lâminas
cercando as tardes
e a fome
sempre a fome da tua poesia
o corpo subtil da palavra
pele impossível
desta manhã que arranco à alma das paredes


Leio-te
como quem segue o voo de um pássaro
em nuvens que não sabe
Talvez o quase imponderável
seja o grito claro de sílabas
voando inclinadas de encontro às bocas


Ler-te
é pois colocar dedos neste silêncio
ávido de poemas solares
páginas intermináveis
abissais
como o centro da terra
onde funda a sua lava o canto do lume
em sonetos que o vesúvio grita

João Martim


Desde 1999, que o dia 21 de Março foi declarado o Dia Mundial da Poesia.
Há algum tempo encontrei aqui este poema. Gostei. Guardei-o no meu baú de coisas boas. Hoje achei que era uma boa altura para me lembrar dele. Para o compartilhar.
Quando andava na escola aborrecia-me a poesia, mas o tempo tem sido um salutar mestre em me ensinar a gostar, a saborear, a entranhar as suas palavras. Hoje a poesia é um item essencial da minha roda de alimentos.

Neste dia, este poema está dedicado a todos vós, poetas da (minha) blogosfera.
Aqueles que me fazem sonhar com os voos dos pássaros.
Aqueles que me pintam as cores de um mundo novo.
Aqueles que com a imaginação saciam os meus sentidos.

Leio-vos. Avidamente.



10 comentários:

pinguim disse...

Perfeita a sintonia deste poema contigo próprio, com o momento que vives.
Belìssima pois a escolha deste poema de um autor que desconhecia, e daí um obrigado pela partilha.
Quanto ao final do teu post, quem disse que não se pode ser poeta, escrevendo prosa???
Santa Páscoa para ti e um forte abraço de Amizade (podes estar certo que estarei sempre por aqui...)

socrates dasilva disse...

pinguim,
Gostei mesmo deste poema. Até que enfim, que te "dei" alguma novidade, a balança de trocas estava muito deficitária :-)
Quanto á questão prosa/poesia, fui bem apanhado. Tens razão, meu amigo.
Obrigado por tudo. Abraço

Special K disse...

A poesia é o melhor alimento da alma.
Um abraço e boa Páscoa.

socrates dasilva disse...

special k,
É mesmo assim. É um alimento que devemos consumir gulosamente. Não tem colestrol.
Igualmente e um abraço

Hydrargirum disse...

Eu tb cresci nessa aprendizagem...quando era mais novo, a poesia aborrecia-me....só achava graça à minha...(Nem comentes!)

Mas o crescer, deu-me outra serenidade e outra visão às palavras caídas em papel por quem sabe escrever....

Gostei do que li:)

Pela parte que me toca, que de poeta, não tenho nada....agradeço-te as palavras simpáticas:)))

Abraço:)

Kokas disse...

Não sei fugir de tudo sem ser pela poesia. Obrigado por esta partilha. Cheguei cá pelo blog do Pinguim... Parabéns!

socrates dasilva disse...

hydrargirum,
Tenho pena de não poder dizer uma piada sobre o teu comentário (Não deixas-te...)
Agora a sério, obrigado por seres um poeta da minha (e de muitos outros) blogosfera.
abraço

kokas,
Viva a poesia. Viva a partilha. Obrigado pela tua visita. Olha, o nome kokas é muito nostalgico para mim, pois lembra-me os marretas.
abraço

Paulo disse...

Obrigado pela partilha do poema! Afinal, os amigos (mesmo virtuais) cumprem uma função essencial! Mais não seja, por não recriminarem, por compreenderem, por partilharem. Eu gosto dessa partilha, avidamente. E espero poder contribuir de alguma forma para a tua capacidade de voar!

socrates dasilva disse...

Paulo,
Sem partilhar que alegria teria a vida? Gostei da tua expressão: "não recriminarem, por compreenderem,... " confesso que é uma faceta nova da amizade que estou a descobrir. E, sim, ajudas-me a voar. Muito. Como um supersonico.
abraço

Paulo disse...

ei, ei, não quero que te estampes!