quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

Um dia será


Já estava em divida para com o Sérgio. Já devia há muito tê-lo incluído nas músicas que aqui coloco. Com toda a justiça. Mesmo que tenha crescido com a vertente pimba da música portuguesa em redor, desde muito pequeno que me cativava esta voz e estas letras. Recordo que certa vez na escola andava a trautear o refrão: “cá andamos com a cabeça entre as orelhas”. Um colega, proveniente das melhores famílias da terra, olha para mim com um misto de ar surpreendido e incomodado e diz: “Que horror, isso soa a canção comunista!”. Confesso que não percebi de imediato esse mundo de conexões entre política e musica. (Era muito ingénuo, valha-me Deus!) Mas, sabia que gostava das músicas do Sérgio e isso bastava. Hoje apeteceu-me cantar esta.

...

Enfim duma escolha faz-se um desafio
enfrenta-se a vida de fio a pavio
navega-se sem mar, sem vela ou navio
bebe-se a coragem até dum copo vazio
e vem-nos à memória uma frase batida
hoje é o primeiro dia do resto da tua vida

...


9 comentários:

Violeta disse...

Um excelente cantor, uma excelente música.
Sérgio Godinho faz a diferença!

pinguim disse...

Sérgio Godinho! Nunca o identifiquei com qualquer ideologia; para mim sempre foi um símbolo de Liberdade, em todas as vertentes.
E que canta bem...

Há.dias.assim disse...

Qualquer dia... como a canção de Zeca Afonso.

Tongzhi disse...

Um homem que ao longo do tempo se foi mantendo fiel ao seu estilo. Gosto dele!!!

tsiwari disse...

Pode ser todos os sufixos _ista.

É excelente. E mora na "nossa memória colectiva". Assim!


:)

bl'ink disse...

Catch me... ;)

Socrates daSilva disse...

Violeta,
Sem dúvida! É sempre uma prazer escutá-lo.
Bjs


Pinguim,
Quem compõe músicas e quer que elas tenham substância e falem de assuntos sérios, do quotidiano, por vezes incomoda algumas pessoas. É a vida…
Abraço!


Há.dias.assim,
Esta canção diz tudo. Um dia é que se parte a louça toda, é que se deixa todos espantados, e a vida assume alguma coisa de verdadeiro.
Bjs


Tongzhi,
E essa é uma qualidade rara hoje em dia, seja em artistas, seja em qualquer pessoa. Também aprecio essa qualidade.
(Que bom voltar a ler-te…)
Abraço!


Tsiwari,
Obrigado pela visita e comentário. É verdade! Todos temos um dia que é o início do resto da vida…
Abraço!


Bl’ink,
Thanks for the visit and comment.
Hug!

Mike disse...

Não sei o que se passou aqui com o Reader, mas deixei passar este post. E não posso deixar de comentat Sérgio Godinho.
A primeira memória que tenho de SG será talvez da altura da Árvore dos Patafúridos. (será que alguém ainda se lembra disso?!)
Não sendo um grande admirador seu, gosto de algumas músicas, mas sobretudo das letras, e da maneira como consegue brincar e jogar com as palavras como ninguém.
Permite-me sugerir uma música: Sextos Sentidos, que canta com os Silence 4.
Abraço.

Socrates daSilva disse...

Mike,
Claro que me lembro da Árvore dos Patafúrdios!
O Sérgio é um cantor de poemas. Poemas pertinentes à realidade. Além da música que recomendas – belíssima! – gosto muito do álbum “Irmão do Meio, especialmente o dueto com a Teresa Salgueiro.
Abraço!