sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

Os livros

”Acreditas mesmo nisso?”, perguntou ele. “Que os livros dão sentido à nossa vida?”

“Acredito”, respondi. “Um livro deve ser um machado para abrir o mar gelado que temos dentro. Que mais havia de ser?”


(Lido aqui. A conversa continua lá...)

12 comentários:

bl’ink disse...

bl’ink gosta disto

pinguim disse...

E são mesmo, por muito que a internet nos dê carradas de informação, os livros são sempre algo de uma utilidade extrema e em vários sentidos.

Violeta disse...

Belo!

André Couto disse...

Uma sugestão certamente aliciante. Procurarei segui-la. Ou então, como da primeira vez, talvez o livro "venha ter comigo". É sempre bom ler-te, meu amigo. Um grande, enorme e apertado abraço.
Obrigado por não desistires de mim.

TheMenBehindTheCurtain disse...

Insubstituíveis companheiros por esses serões fora.

Ainda hoje sorrio ao recordar, numa conversa entre amigos a decidir o que fazer com o dinheiro de um euro milhões, a perplexidade geral ao sugerir gastar o dinheiro no devaneio de ir a uma livraria e comprar aqueles livros que habitualmente fico-me por mirar tristemente a contra-capa.

Enfim... Abraço ;)

Socrates daSilva disse...

Bl’ink,
E faz o bl’ink muito bem!
Abraço!


Pinguim,
É verdade! A internet tem o seu campo, que cada vez é mais imprescindível. Mas eu não vou na cantiga de que ela vai acabar por substituir os livros.
Num livro toca-se, sublinha-se, faz-se orelhas nas páginas, perde-se coisas nas suas páginas, dorme-se com ele na almofada ou na mesa de cabeceira e viaja connosco. Isto sem contar com a sua substância; apenas mencionei a parte material.
Abraço!


Violeta,
Concordo plenamente!
Bjs


André,
Os livros perseguem-nos…
:-)
Obrigado pelas simpáticas palavras. E claro que não desisto de visitar e comentar no teu blogue. Sejam quais forem as “férias” que necessites tirar, sei que voltas sempre!
Abraço do mesmo calibre!


TheMen…,
Eu acho que se ganhasse o euro milhões comprava a livraria!
:-)
A mim acontece-me o mesmo. As livrarias são pontos de peregrinação certinhos, mas os preços são aquilo que sabemos. Ou então tenho gostos muito caros. Ou então tenho muitos gostos. Enfim…
Abraço!

Mike disse...

Eu tenho um problema com os livros: compro sempre demais do que aqueles que consigo ler. :-)
Mas nunca são demais.
Nada que me substitua o manusear o livro, dobrar, sublinhar... Qual iPad qual carapuça.
Abraço.

Mike disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Socrates daSilva disse...

Mike,
São de facto duas puras verdades.

1) Os livros nunca são demais. As nossas horas é que são de menos.

2) Não existem substitutos para um livro. O que existe é outras coisas que também contêm letras.

Abraço

Há.dias.assim disse...

E o que seria eu sem os livro?

continuando assim... disse...

convite para seguir a história de Alice, lá no
--- continuando assim... ---

bj
bom fim de semana
teresa

Socrates daSilva disse...

Há.dias.assim,
Uma pergunta que subscrevo…


Continuando assim…;
Obrigado!
Bjs