quinta-feira, 6 de novembro de 2008

O Império do Sol




Este filme pertence ao clube das minhas coisas queridas. Foi um daqueles amores adolescentes que não se esquecem. Emocionei-me com a história do jovem Jim, que vê a sua vida destruída pela invasão japonesa de Xangai. O pesadelo acontece ao perder-se dos seus pais naquela confusão. A odisseia que se segue é dramática na realidade do conflito a que assiste, e ao mesmo tempo, cheia de sonhos e da alegria típica de uma mente juvenil.

É um filme que revejo de vez em quando. Tem uma banda sonora da responsabilidade de John Williams, que é fabulosa na maneira em que complementa os sentimentos despertados em algumas cenas do filme. Inesquecível e sempre arrepiante é o canto do Suo Gan por um coro de crianças no inicio do filme. Para mim, uma das melhores e mais sentidas obras de Steven Spielberg.




3 comentários:

pinguim disse...

Foi realmente um dos grandes filmes sobre a guerra, até porque a personagem principal é uma criança, o que lhe confere um elevado grau de dramatismo.
Abraço.

GRITOMUDO disse...

Lindo.
Lindo.
Lindo.
Lindo.
Lindo.
Lindo.
Lindo.
Lindo.
B52 from the sky...

GRITOMUDO

Socrates daSilva disse...

Pinguim,
Além dessas excelentes razões, um certo sentir muito meu, fez este filme “colar-se” a mim. Digamos que (re)ver este filme é, pessoalmente, uma altura de olhos húmidos e uma sensação de esperança quentinha cá dentro. Parvoíces minhas…
Abraço!


Gritomudo,
É mesmo!
"Lindérrimo!"
Abraço!