terça-feira, 15 de abril de 2008

A essência do pecado e a homossexualidade

Quando o tema é a homossexualidade e o interlocutor é alguém religioso, salta logo como uma mola a palavra pecado. Palavra usada como uma espécie de argumento peso-pesado, sem possibilidade de contestação.

Pecado? Mas, o que é o pecado?
A tradição judaico-cristã coloca-nos perante o conceito de pecado em dois níveis.
Primeiro, ensina que todos nascemos inerentemente pecadores. O que significa que somos incapazes de sermos perfeitos em pensamentos e acções. Ou seja, carregamos a culpa de todos os dias sermos uns falhados. (“Pede perdão a Deus, que se não sabes o porquê, Ele sabe”)
Segundo, existe o pecado consciente, propositado. Trata-se de em termos simples, ofender a Deus por não cumprir as suas leis. Esse tipo de pecado pode ser evitado ou quando cometido, perdoado, se existir arrependimento e penitencia.

Como se sabe o que é pecado? Para todas as denominações cristãs, existe um consenso de que a Bíblia contem o conjunto de princípios e leis que definem que pensamentos e acções constituem pecado. Mas, a noção de pecado também tem uma lógica por detrás. O crente aceita-o por que crê na autoridade de Deus. Mas, também existe uma razão para que algo seja classificado de pecado. Por exemplo, peguemos nos mandamentos “Não matarás, não roubarás ou não cobiçarás”. Trata-se de acções (no caso dos primeiros dois) e pensamentos (o terceiro) com os quais podemos prejudicar o bem-estar e os direitos de outros. Tem lógica.

Então, voltemos ao início.
Tem lógica classificar o homossexualismo como pecado? A essência do pecado tem algo a haver com a homossexualidade? Que razões podem ser invocadas para que alguns respondam sim a estas questões?

(Estas questões não são colocadas de maneira inocente. Desde que comecei a sentir a minha tendência homossexual que começou a existir um conflito dentro de mim. Um conflito brutal, que chegou a ter contornos auto destrutivos. Assim, quando comecei a admitir perante o meu espelho, e aqui, perante quem lê o meu blogue, sabia que não podia fugir a esta “viagem” ao centro das minhas crenças.)

Tudo começa e acaba com a questão: Porque raio a homossexualidade é pecado? Que razão válida existe?
Comecemos pelo princípio. O que dizem os textos sagrados? No Antigo Testamento havia orientação clara para aplicar a pena de morte a quem praticasse o homossexualismo. Existe o relato da destruição de duas cidades, Sodoma e Gomorra, directamente por Deus ao enviar fogo e enxofre do céu, devido á pratica generalizada do homossexualismo. No Novo Testamento, não encontramos nas palavras de Cristo referência directa a este assunto. Mas, S.Paulo em algumas de suas epístolas (Romanos, 1 Coríntios e a 1 Timóteo) e S.Judas, condenam o homossexualismo e argumentam que irão ser punidos eternamente, a não ser que mudem.

Assim, usando citações bíblicas, a homossexualidade é encarada como um pecado. Um pecado que merece a morte. Mas, falta algo. Falta esclarecer uma coisa. Para que tivesse a força da lógica é necessário responder á questão: quem sai prejudicado por uma pessoa ser homossexual?

Bem, se alguém á força obrigar a outros a praticar o homossexualismo, isso teria lógica para ser classificado de pecado. Mas, e quando duas pessoas, adultas, se sentem atraídas uma pela outra, e, sem incomodar a terceiros, querem desenvolver laços afectivos, onde está o pecado? Onde está o prejuízo? Onde está a lógica para essas pessoas merecerem uma morte eterna?

Em alturas que coloquei academicamente esta questão, escutei respostas deste tipo: "É contra o padrão normal de Deus”, “ Ele deu uma Eva a Adão e não outro Adão", "Se o homossexualismo fosse normal, acabava a humanidade, pois não existia o nascimento de filhos" ou "Pode ser um mau exemplo para outros se for permitida a sua prática". (Bem, bem, bem!)

Ser o padrão normal um homem coabitar com uma mulher, não responde á questão. Porque então também seria pecado alguém ficar solteiro…
E a questão de não nascerem filhos num relacionamento homossexual é patético… Então seria igualmente pecado um casal heterossexual não ter crianças. (Não, não tem lógica…)
Do possível mau exemplo, nem me vou dar ao trabalho de refutar para não ofender a inteligência de quem está a ler este texto. (Como se casamentos heterossexuais tivessem a aura de santidade com a sua exemplaridade…)

Assim, apertando o cerco da lógica, a ultima defesa do crente é: "Na Bíblia o homossexualismo é condenado por Deus. Se lá está, temos que obedecer. Ponto final. Eu por mim, até tenho pena deles, mas está escrito…"
(Beco sem saída)

De facto, as passagens bíblicas que mencionam a condenação do homosexualismo não tem muita margem para serem classificadas de simbólicas. Estão num contexto bem literal. Para quem tem na Bíblia o seu seguro contra a incerteza da vida e da morte, não é muito confortável admitir que uma pequena parte dela possa ser posta em causa. O que se diria do restante? Entre sacrificar a hipótese da sua salvação e o direito a outros serem diferentes… O sentido de sobrevivência dita a opção. É como que dizer: “Isto está lá escrito, eles que desenrasquem-se…”
Pois, eu comecei a pensar da mesma maneira. A homossexualidade ser condenada como um pecado digno de fogo e enxofre não tem lógica que a sustente. Quem não entende isso que se desenrasque….

Algumas igrejas cristãs vão-se sentido desconfortáveis com estas passagens, que dão uma visão redutora e retrogada. Cada uma vai resolvendo o assunto á sua maneira. Sinceramente, ainda não me debrucei sobre que argumentos doutrinais algumas delas usam para até ordenar alguns membros do clero que assumem publicamente a sua homossexualidade. Algumas, temperam o assunto com o ilimitado amor de Deus. Ainda algumas fecham simplesmente os olhos e dizem que nem tudo o que está escrito deve ser levado a sério. Outras enfatizam que desde que não haja a prática não há o pecado. Claro, que outras continuam no seu caminho fundamentalista.

Mas, continua o dilema para quem sinceramente crê nas Sagradas Escrituras como Palavra infalível.

Tudo o que lá está é verdade absoluta e estamos a ser traídos pelos nossos sentimentos, e a continuar a pecar vamos todos para o inferno?
Existem partes que não devem ser levadas tão a sério? Se assim, como saber quais são? Serão simbólicas á medida da nossa conveniência?
Ou simplesmente este histórico livro foi fruto da mente humana, limitada assim pela sua sabedoria e tempo de escrita?

O que sei é que cada um terá que encontrar uma resposta para seguir o seu caminho e ter paz. Creio que quem assume a sua homossexualidade não tem que obrigatoriamente descartar a existência de Deus. Muitos que foram afastados da sua igreja por viver a sua sexualidade, continuam a ter fé e desejar praticar a sua crença. É fácil ver na Internet grupos de homossexuais que continuam a se identificar com uma religião que não os aceita como tal.

Esta questão pode parecer infantil e desnecessária para quem não acredita ou dúvida da existência de Deus. Eu sinceramente, neste preciso momento, não sei que dizer sobre isso…

A fé não discuto. Quando muito, escuto e falo. É um património pessoal que cada um tem o direito de ter e ser respeitado. Nem necessita provar a outros o porquê de acreditar no que acredita. É a sua prorrogativa.
Apenas desejo reflectir nas reais razões que existem para que alguns queiram destruir a vida de quem não nasceu como os outros e apenas deseja ser feliz. Que não deseja prejudicar ninguém, apenas ter direito a amar e ser amado. Terá lógica aceitar uma lei que não tem a lógica a suportá-la?
Como já disse, para quem foi criado com valores religiosos e os considerou importantes durante muito tempo, esta viagem é um caminho que tenho que fazer.

Forçosamente. Leve-me a estrada onde levar.

13 comentários:

Manuel Braga Serrano disse...

Não sabes caminhar com as duas pernas? É mesmo preciso uma bengala para caminhares??

socrates dasilva disse...

manuel serrano,
Estou a tentar, estou a tentar...
Mas, ás vezes tenho que pensar em voz alta. Coisas de humanos complicados!
Abraço

pinguim disse...

Texto profundamente coimpleto sobre a relação da homossexualidade com os domas da religião critã e uma abordagem correcta do "pecado" da homossexualidade.
Infelizmente não é só a Igreja a considerar pecado a homossexualidade (ler "O Pecado de João Agonia" de Santareno).
O teu último parágrafo é contudo o mais importante e é um passo importante para ti, pois uma declaração de intenções, vinda de uma pessoa como tu, é mesmo um compromisso para contigo próprio: a curto, médio ou longo prazo.
Abraço muito grande.

socrates dasilva disse...

pinguim,
Já há muito tempo que procurei ser sintetico na avaliação do que se passava comigo e que caminhos tinha. Por vezes é bom que pessoas que não tem estes "complexos" religiosos, entendam o que se passa nestas situações. Não sou o unico, decerto. O pior que pode acontecer a alguem é a vergonha de si, o anular de seus sentimentos, o sentir-se sem lugar neste planeta. Isso é a morte em vida! Eu gostava de saber o que é viver...
Abraço e obrigado

The Unfurry Swear Bear disse...

Não menosprezando a tua fé, pois cada um tem a sua, e eu que fui obrigado durante 5 ou 6 anos a ir a igreja e a catequese bem sei
Acho que leres sobre as seguintes coisas pode ajudar-te, a proposito da biblia, e até que ponto ela reflete a "palavra de Deus", quando foi ela escrita, por quem, quando foi ela compilada, quem é que realmente escreveu os evangelhos...
Tal como será que Sodoma e Gomorra foram destruidas pela sua comum pratica da homosexualidade? não será por outro motivo?
Algumas traduções também alteraram palavras, umas tão graves como de fornicadores para homosexuais...
Na biblia é moralmente correcto ter-se escravos... será que actualmente isso é moralmente certo? Assim como comer marisco era pecado...
Enfim tantas perguntas para quais só tu podes encontrar uma resposta, mas se te angustia, procura e vais ver que nem tudo é como dizem...
Se olharmos para as palavras de Jesus, deixando o que não foi ele que disse de parte, veremos que a mensagem dele é de amor para TODOS.
"E quem nunca pecou, atire a primeira pedra"
;)

Catatau disse...

Dou-te os meus parabéns pelo teu post. É optimista, sabes?! As reflexões que fazes abrem-te os horizontes para aquilo que Deus mais preza: a vida. :)

sp disse...

Nunca sabemos o que é viver! É nesse mistério que reside a nossa vontade e nosso medo, não é?
Um abraço peludo...

socrates dasilva disse...

t.u.s.b.,
Conheço bem a Bíblia. Não posso dizer que hoje a encare como uma palavra infalível. Se acreditei nessa possibilidade durante algum tempo, deve-se á fé. Por vezes a fé faz-nos ver o que queremos e eliminar a importância do que nos incomoda. Vejo isso em todas as religiões que usam a Bíblia como alicerce da fé.
Se querem usar santos, se querem aceitar a autoridade de Roma, se querem cobrar o dizimo, se querem proibir comer certos alimentos… Tudo tem um texto ou uma citação que muitas vezes não leva em conta o contexto ou uma tradução fiavel.
Gosto de história, sou curioso e não me detenho perante perguntas sem respostas. Assim, que as tuas questões sobre traduções, reais dados sobre a escrita dos livros que compõem a Bíblia, ou a incoerência sobre coisas que se proíbe ou não já me são conhecidas. Posso acrescentar, por exemplo, era-se morto por trabalhar ao sábado, uma mulher era obrigada a casar com o irmão do falecido marido, pessoas com deficiência eram banidas de adorar no templo, era permitida a poligamia e não podiam casar com pessoas de outra nacionalidade.
Sobre Jesus é verdade que revolucionou a mentalidade farisaíca de preciosismos técnicos para uma adoração baseada no amor. Mas, algumas de suas afirmações também são mal usadas. Tipo: "Quem não é por mim é contra mim, se tua mão te faz tropeçar, corta-a, vim causar divisão nas famílias", etc.
Isto para te dizer que não está a ser as palavras escritas na Bíblia que me estão a torcer a noção do que penso. Isso são águas passadas… Estou numa turbulência, mas falar dela há de tranquilizar-me com o tempo.
Não quero atacar ou tirar a ninguém a sua fé. Apenas fazer o meu PREC.
Obrigado pela empatia. Abraço

catatau,
Obrigado pela visita e elogio. Tentei simplificar o tema primeiramente para meu entendimento. Vamos ver até onde vai o meu optimismo...
Abraço

sp,
O mistério da vida ou a vida sendo um mistério. Por vezes é tudo tão escuro que temos que seguir os nossos sentidos. Com medo, é mesmo!
Abraço

The Unfurry Swear Bear disse...

Estou em perfeita sintonia com o que acabaste de me responder ;D

Special K disse...

Tudo isto parte do pressuposto que quem é homossexual, é porque lhe apetece ou porque gosta gosta de uma vida hedonista de prazer e pecado. Pois eu sei que as pessoas nascem já com a sua identidade sexual definida e ninguém tem prazer em ser marginalizado e insultado pelos outros. Assim, se Deus existe, e foi ele que nos criou, somos assim porque ELE QUER!
Quando O encontrar, espero que daqui a muito tempo, terei umas palavrinhas a dizer-lhe.
Um abraço.

Vera Márcia disse...

É e será sempre um tema complicado, este da homosexualidade.
Eu nao tenho nada contra á homosexualidade, pelo conntrario, cada um tem direito de ser ou de escolher a melhor maneira para se sentir feliz. Mas Tudo isto parte do pressuposto que quem é homossexual, o é porque quer. às vezes até pode ser uma opção, mas a maior parte das vezes não. E deverao ser essas pessoas incriminadas com olhares e palavras pesadas de repúdio e maldizer?? Infelizmente ainda ha muita discriminação... Pois eu sei que as pessoas nascem ja biológicamente com uma identidade sexual definida e ninguém tem prazer em ser marginalizado e insultado pelos outros.
Se eu sou loira ou morena, lébica ou hetero, logo que nao faça mal a ninguem, nem desrespeite ninguem, porque raio tenho de ser maltratada por outros?
As pessoas devem ser vistas pela sua essencia, pelo bem que faz aos outros e nao pelo aspecto físico ou pelas opções.
Gostei do blog, voltarei:)

LuzdeLua disse...

Nao poderia deixar de comentar, sendo eu religiosa, por isso teu post me tocou profundo. Deus antes de ser de qualquer religião ou pecado é amor.E amor se sobrepõe a qualquer coisa. Muitas das coisas que eram tidas como "pecado" jamais existiram. Ou será que perguntaram à Ele (Deus) antes de elencarem os ditos "pecados"? Ame, se encontre, viva de forma a não fazer mal às outras pessoas e se descubra.
"Conhece-te a ti mesmo"...
Acho que Deus, acima de tudo, nos pede isso.
Um abraço e siga em frente. A vida é uma constante mutação.

socrates dasilva disse...

Special k,
Entendes-te bem o meu dilema. Devo fazer duas confissões adicionais motivado pelo teu comentário. Primeiro, acreditava que quem era homossexual o era por desejar ser pervertido e como consequência a sensação de culpa, de nojo de mim pelo que pensava e desejava. Depois, acreditava que com a minha fé conseguia mudar quem eu era. Não conseguia. O resultado? Fui-me fechando emocionalmente. Até que senti que não podia continuar assim… Ou morria ou mudava alguma coisa.
E pensei como tu. Se Deus me conhece sabe que não quero ser um criminoso. Quero sentir alguma coisa genuína na minha vida. Será que Deus preferia que continuasse mentiroso e falso só para as aparências serem as “normais”? Se Ele me julgar um dia, também quero essa conversa. Com todo o respeito!
Ainda não mudei nada na minha vida, confesso. Estou a começar. Mas, pensado nos que me rodeiam quero fazê-lo da maneira que respeite o melhor possível os seus sentimentos.
Abraço
:-)

Vera Márcia,
Obrigado pela visita e pelas bonitas palavras. De facto até eu fui durante muito tempo influenciado por esses conceitos comuns. Para meu próprio prejuízo. Essa ideia de que “as pessoas devem ser vistas pela sua essência, pelo bem que fazem a outros” é tão verdadeira e bela…
Abraço
:-)

Luzdelua,
Grato também pela tua simpatia em comentar este tema. Deus nunca deve ser uma desculpa para a intolerância ou acções prejudiciais a outros. Ele só devia inspirar nas pessoas o melhor… Mas, que mundo tão imperfeito que temos, que não vê isso. Obrigado pelo conselho!
Abraço