quinta-feira, 17 de abril de 2008

Sem duvida


Fonte da imagem

“A maior solidão é a do ser que não ama. A maior solidão é a dor do ser que se ausenta, que se defende, que se fecha, que se recusa a participar da vida humana.

A maior solidão é a do homem encerrado em si mesmo, no absoluto de si mesmo,
o que não dá a quem pede o que ele pode dar de amor, de amizade, de socorro.

O maior solitário é o que tem medo de amar, o que tem medo de ferir e ferir-se,
o ser casto da mulher, do amigo, do povo, do mundo. Esse queima como uma lâmpada triste, cujo reflexo entristece também tudo em torno. Ele é a angústia do mundo que o reflecte. Ele é o que se recusa às verdadeiras fontes de emoção, as que são o património de todos, e, encerrado em seu duro privilégio, semeia pedras do alto de sua fria e desolada torre.”

Vinicius de Moraes

(Estes meus dias estão assim)

8 comentários:

Rato do Campo disse...

Amigo, fico algo apreensivo após ler este teu post... Tu tens tanto para dar, mas tens mesmo que te soltar. Se digo disparates, perdoa. Abração!

The Unfurry Swear Bear disse...

"A maior solidão é a do ser que não ama" mas de certeza que há muita gente que amas, e que te amam de volta. Não estás sozinho, olha para esta multidão a tua volta.
Acho que temos de amar a vida, isso é o mais importante... outro tipo de amor, vem com o tempo, não é preciso procura-lo que ele vem ter conosco, basta é agarrar essa oportunidade quando se apresenta :D e depois se corre bem ou mal (ou mais ou menos) é tudo uma questão de compromissos ;)
Espero que não seja (mais uma vez) demasiado confuso no que quero dizer :D
Anima-te
abraços

pinguim disse...

Vinícius de morais também tem outros textos, bastante mais optimistas, nos quais espero, em breve, te revejas também.
Saraváaaa...

Manuel Braga Serrano disse...

O que tu estás a pedir é umas bofetadas, para arrepiares caminho... Tenho dito! :-) vá, faz lá um sorrizinho (mesmo só com metade da cara, que um homem fica mais giro quando sorrie apenas com metade da cara) para euzinho.... Isso e arranjar qualquer coisa para saires de casa no sábado à noite e apareceres pelo caruso!

Catatau disse...

Mas também está dentro de ti - com coragem, determinação e oportunidade - dares o Grito do Ipiranga em direcção às "fontes de emoção". Além disso, parece-me que tens algo mais importante a semear do que pedras...

socrates dasilva disse...

Rato do campo,
Estes dias estão a ser emocionalmente difíceis, confesso.
Tenho estado a soltar-me aqui, na escrita. Para mim já é um algoque há algum tempo nem pensava. Mas, outras coisas na minha vida tem um “timing” a respeitar.
E tu não dizes nenhum disparate, é a verdade! Obrigado por tudo.
Abração tb

t.u.s.b.,
Não és nada confuso, antes, bem claro! Agradeço o reparo para olhar para o que há de bom. É assim mesmo. Acho que o facto de não amar, não é tanto por não ter a capacidade, mas de ter que vencer algumas barreira. Nestes dias essas barreiras estão a parecer-me muito altas, talvez amanhã as veja melhor…
Obrigado e abraço

Pinguim,
É que as vezes uns poemas parece que nos atingem mais a mioleira…
Obrigado e saravá para ti também amigo

Manuel serrano,
Não duvides que umas bofetadas me faziam bem. Mas, dadas com jeito :-)
Ai homem! tu a falares de sábado! Agora é que me fazes mesmo chorar…
Abraço e diverte-te

Catatau,
É. Ninguém o pode fazer por mim. Essa é a real verdade. Obrigado
abraço

Special K disse...

"O maior solitário é o que tem medo de amar", O grande Vinícius não podia estar mais certo. Não sei se sabes mas os medos foram feitos para ser enfrentados e vencidos. Eu conheço bem esse medo, já o enfrentei várias vezes; caí, magoei-me, mas voltei à luta. Confesso que ainda não venci mas estou no bom caminho.
Meu caro Sócrates só te digo uma coisa, a vida é curta demais para ser desperdiçada.
Um abraço.

socrates dasilva disse...

special k
Meu caro amigo, falas bem. "A vida é curta demais para ser desperdiçada". Mas, sabes que parece que nunca pensamos bem nessas palavras até certa altura? Obrigado pelo teu valioso testemunho. Que um dia venças. "Amor vincit omnia", como diziam os romanos.
abraço