sexta-feira, 4 de abril de 2008

Restolho


Geme o restolho, triste e solitário
a embalar a noite escura e fria
e a perder-se no olhar da ventania
que canta ao tom do velho campanário

Geme o restolho, preso de saudade
esquecido, enlouquecido, dominado
escondido entre as sombras do montado
sem forças e sem cor e sem vontade

Geme o restolho, a transpirar de chuva
nos campos que a ceifeira mutilou
dormindo em velhos sonhos que sonhou
na alma a
mágoa enorme, intensa, aguda

Mas é preciso morrer e nascer de novo
semear no pó e voltar a colher

há que ser trigo, depois ser restolho

há que penar para aprender a viver

e a vida não é existir sem mais nada

a vida não é dia sim, dia não

é feita em cada entrega alucinada

prá receber daquilo que aumenta o coração

Mafalda Veiga. Estava já há muito tempo com vontade de usar um poema dela. É a minha compositora/cantora.
Tenho uma veneração pela sua música. Cada música dela é um hino a tudo o que nos move a viver, a lutar, a resignar por vezes. As suas letras são emoções puras colocadas num altar. É uma Bíblia de referências sentimentais.

Se tivesse que escolher o cenário idílico seria assim:
Um sofá numa praia (contentava-me com uma do litoral alentejano), pôr-do-sol, vodka com laranja, uma companhia desejada, uma mesinha com um candelabro, e a Mafalda Veiga com a sua guitarra a tocar…

A tocar por exemplo, “O Restolho”. A primeira musica que escutei dela. Do álbum de estreia “Pássaros do Sul”. (Ainda tenho o disco de vinil como uma relíquia preciosa)
Porque esta musica diz que por vezes algo que consideramos importante acaba. Seja lá o que for. Foi-se. Ficamos vazios, escuros, abandonados…
“Mas”. É a palavra que na canção é apresentada face ao miserável cenário. “Mas, é preciso aprender a viver”.

É uma canção positiva. Temos que saber aceitar a dor como parte do crescimento. Uma verdadeira vida não pode ser poupada das emoções. Das boas e das más. É preciso arriscar, é preciso sentir, é preciso viver. Mesmo que tenhamos que morrer um pouco de cada vez que o caminho apresenta um cruzamento e tenhamos que fazer uma escolha.

8 comentários:

pinguim disse...

Gosto desta canção "Restolho", como aliás, de uma maneira geral de todo o seu primeiro álbum "Pássaros do Sul"; mas depois, tenho que confessar que é sempre mais ou menos a mesma coisa...

socrates dasilva disse...

pinguim,
De facto, outras pessoas já me disseram o mesmo sobre a música da Mafalda. No entanto, é este ritmo suave e doce, mas sobretudo as suas letras que me fazem ser um fã dela.E já a vi ao vivo e... adoro! Olha, são gostos.
Abraço

Special K disse...

Eu adoro esta música.
Um abraço.

socrates dasilva disse...

special k,
Eu, óbviamente, também...
Abraço

Hydrargirum disse...

Ainda me lembro qd a MVeiga apareceu....!!!

Pássaros do sul...Tens o vinil?...eu tb sou de guardar relíquias assim...mas eu sou mais Queen...

Qt ao Restolho...só agora lhe prestei atenção...é de facto mto bonito!:)
Obrigado pela partilha:)

Abraço:)

Hydrargirum disse...

Ah outra coisa....que percebas que pelo menos a mim não me passou despercebido o uso da cor...em palavras estratégicas....

:)

socrates dasilva disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
socrates dasilva disse...

hydrargirum,
Eu também adoro Queen. "I want to break free"...
:-)
Ainda bem que gostaste deste poema musicado.
Gostei da tua observação atenta da letra. Não brincas em serviço.
;-)
abraço