domingo, 22 de junho de 2008

E agora?



Portugal perdeu com a Alemanha.
Para alguns isso foi uma desgraça maior que os reais problemas do país. Um vizinho meu tirou a bandeira da janela, logo depois do jogo terminar. O povinho que tanto dava aleluias ao nosso país lança agora pragas e acusações sobre quem tem culpa na derrota. Semelhantes casos também aconteceram em outros países que prematuramente saíram do Euro.

Bem, vou dar a alguns uma novidade: Era um jogo de futebol.
Um apaixonante, emotivo e simples jogo de futebol.
Não estava em causa a independência nacional, o bem-estar dos cidadão ou projectos para este pais andar para a frente. Era mesmo apenas um jogo de futebol. Onde jogadores, técnicos e staff fizeram umas coisas boas, outras erradas, mas acima de tudo deram-nos gozo. Providenciaram-nos horas de vivídos sentimentos, sejam eles de alegria ou desilusão. Como aliás a vida faz.

Tenho que desta vez concordar com a frase de Cavaco Silva:
"Mas há vida e desafios para lá do futebol e são esses desafios que temos agora que enfrentar, olhar para o futuro e não ficar agarrado ao passado. O dia de ontem já passou”

E futebol é apenas futebol!
Faz-me pensar que espécie de nacionalismo pode ser este, em que se tem uma bandeira na janela só para um jogo de futebol. Que orgulho é este que existe só quando se ganha?

Gosto de futebol e muito. Gosto que Portugal jogue bem e ganhe. Mas, quando perde, paciência! É a vida… Continuo a gostar muito de certas coisas neste país plantado á beira-mar e a desejar que outras desapareçam ou melhorem.

Mas vou continuar a delirar com o Euro.
Já adoptei duas selecções. A Espanha, porque não tenho complexos de vizinho. Sou muito admirador do que de bom têm os “nuestros hermanos” e não tenho problemas em assumir essa afeição. E a Turquia. Além de ser um dos países que mais gostava de visitar e conhecer, estou fascinado com a paixão com que estão a jogar este Euro. Está a impressionar-me o espírito de entrega, de lutadores, de acreditarem até ao fim e a sua força anímica.

Porque sempre há vida depois de uma eliminação do Euro.


6 comentários:

pinguim disse...

Eu também gosto de futebol, vibrei com os jogos de Portugal, mas não fiz da nossa eliminação um drama, até porque foi justa; fomos inferiores à Alemanha e temos uma equpa abaixo de outras que já tivemos; agora vejo os jogos com muito interesse e apesar de ter gostado muito dos holandeses nos 3 primeiros jogos, adorei ver a Rússia hoje ganhar, e tem lá um jogador em quem o C.Ronaldo devia pôr os olhos...
Abraço.

The Unfurry Swear Bear disse...

A mim os jogos, como já disse, não me aqueceram nem arefeceram, claro que preferia que Portugal ganhasse tudo, mas aquilo das bandeiras realmente, mete me nojo, só se lembram de ser patriotas na altura dos jogos de futebol, mas muitos desses mesmos são os primeiros a enganar o fisco, e a usar de esquemazinhos foleiros... haja paciência...

Tongzhi disse...

Por estas bandas foi a mesma coisa, as bandeiras sumiram como para castigar a derrota.
Confesso que já me estava a fazer algumas "comichões" a esteria futebolística...

Catatau disse...

Futebol, passo. Não me excita minimamente. Nem os jogos, nem os jogadores, nem a maluqueira que se desenvolve em torno dos jogos. Não tenho pachorra para as idolatrias de quem é regiamente pago para fazer o que faz. Também não suporto todo o folclore em torno dos jogadores, dos seus trapos, dos cortes de cabelo, das namoradas e das tatuagens.

E, desculpem lá, mas não é com bandeirinhas na janela e no carro que seremos melhores portugueses. E também não é com a sua retirada estratégica das janelas portuguesas que os lusitanos purgarão as suas desilusões (isso é para canalha mimada).

Olha, Sócrates, sabes que mais? Viva a Vanessa Fernades! :))

Special K disse...

Era só um campeonato de futebol não foi nenhum drama. Só gostaria que agora as pessoas apoiassem os nossos atletas presentes nos Jogos Olímpicos com o mesmo fervor com que apioaram a selecção de futebol. Eles merecem porque se esforçam tanto ou mais com menos dinheiro e menos condições de treino.
Quanto ao futebol desculpem lá mas é sempre giro ver aqueles matulões de calções atrás de uma bola. Ainda mais nos golos quando se beijam, abraçam e tiram a camisola ;)
Um abraço. E VAMOS NESSA VANESSA!!!!

Socrates daSilva disse...

Pinguim,
É bom saber desfrutar do espectáculo com a lucidez necessária. Detesto aqueles feitios que acham que se é sempre melhor quando se vê a léguas que se mereceu perder. Este foi o caso. Os alemães foram eficientes e até bons em alguns momentos.
Realmente também não esperava o espectáculo que a Rússia deu. E o “nosso” Cristiano? Acho que repetirem-lhe muitas vezes que é o melhor do mundo está a afecta-lo, e não da melhor maneira…
Abraço


Unfurry,
Essa é uma verdade muito, muito bem metida! E a paciência já me falta para esses “patriotas” de ocasião!
Abraço


Tongzhi,
He, he, he!
Pois com a Euromania que andava por ai há tanto tempo deves ter que ir a um dermatologista…
Abraço


Catatau,
Futebol, sim. Folclore, não.
Bem, lembrado! Vanessa, Vanessa…
Abraço


Special k,
A minha primeira paixão relacionada com as olimpíadas foi ficar acordado toda a noite para ver o Carlos Lopes vencer a maratona em Los Angeles.
São de facto mais esforçados com menos dinheiro.
(Ai as tuas imagens futebolísticas!)
Abraço