terça-feira, 24 de junho de 2008

Odeio. Sinceramente Odeio.

Odeio.

Odeio o que a vida fez de mim.
Odeio o que sinto.
Odeio o que finjo que sou.
Odeio o sorriso idiota que ostento.
Odeio a falsidade que uso.
Odeio o medo que tenho do que os outros pensam.
Odeio a distancia.
Odeio o não puder dizer a ninguém que o amo.
Odeio o entorpecimento.
Odeio o desejo.
Odeio a minha vida.
Odeio estas lágrimas.
Odeio o não agarrar as mãos que são estendidas.
Odeio a ignorância.
Odeio o ódio que sinto.


16 comentários:

Arion disse...

Creio que tu queres mesmo soltar o grito da revolta contra a situação que vives. Posso estar enganado... Conta comigo para te apoiar nesse sentido. Não contes comigo para te dizer que está tudo bem por levares uma vida dupla que a ti magoa tanto quanto deixas transparecer, e que também te custa por estares a mentir a outros que prezas e amas, para além de ti próprio. Não sou homem de meias-tintas, nunca fui e fujo desse espectro como o diabo da cruz! Força!

The Unfurry Swear Bear disse...

olha eu, adoro esta musica :D aliás adoro Radiohead :D
Além disso mmmm como remediar essa neura ....eerrrmmmm podia me armar em futuro psicologo que vou ser... "aaaahhh simmm (com voz pomposa), e o que esse odio lhe faz sentir?" (deus queira que nunca faça uma pergunta tão estupida como esta a um cliente, ou senão despeço-me a mim mesmo)

Cá por mim (na minha pequena cabeça acefala), acho que estás a atingir o ponto de saturação, qualquer dia rebentas. Tens de ver que destes grandes passos, e o mais importante é, já te aceitas como és (pelo menos é o que vejo no que transcreves, se não te aceitasses não havia razão para ódios), aceitares-te foi um grande passo e talvez o mais importante, porque não podemos viver sem nós próprios... Agora o segundo passo não é o mais importante mas é o que custa mais, é a liberdade mas tem um custo, como tudo tem, e sem garantias de devolução... quando está feito, está feito...
Faz me pensar talvez aquelas cenas dos filmes de terror muito Amityville ou Shining, em que o feliz esposo massacra a familia com um sorriso...
mmmm eu estava a tantar animar.... mmm animar... ok ok, é como se tivesses um pacote de gomas do Special K, e que as comecesses a minha frente sem me oferecer nenhuma, tás a ver... uma dor assim intensa!!!

PS: estava na duvida entre o enviar, e fingir que nunca tinha escrito nada... se este post se revela demasiado e tão estupido no teu entender como no meu, podes apaga-lo hahaha mas é uma tentativa de animação TUSBiana, talvez um pouco hardcore, para o que costumo fazer, mas hoje andei tão "bitchy" há dias haha

The Unfurry Swear Bear disse...

oh e esqueço-me do mais importante, um abraço forte, be strong!

Socrates daSilva disse...

Arion,
Obrigado. Sei e aprecio muito a tua frontalidade. Contarei sempre com ela. Hoje, não me sinto com inspiração para nenhuma frase mais significativa. É um grito que queria explodir cá dentro.
Abraço

Unfurry,
Claro que aprecio muito a tua boa disposição. Claro que arrancaste -me um sorriso num dia em me sinto um verme. Obrigado...
Abraço

pinguim disse...

Fico muito triste com este texto, amigo Sócrates.
O que de ti conheço não me permite pensar que haja ódio na tua vida; chama-lhe outra coisa, rejeição talvez, mas não ódio; ódio é muito forte!
Claro que é ´muito fácil, "falar de cátedra", eu sei; mas das duas, uma: ou consegues conciliar es duas facetas da tua vida, num equilíbrio difícil, mas mão impossível, ou terás que chegar ao dia em que soltas o grito de Ipiranga; a tua vida com está neste momento é demasiado penosa para ti; tens que tentar encontrar alguma felicidade na tua vida...
Continuo disponível para te ouvir sempre que queiras ou precises, mas nunca contes comigo para te dizer "Vai por aí..."
Abração enormme e apertado.

Catatau disse...

Mas é na raiva desses ódios que me apercebo do Homem com uma força determinada em resistir. É nos ódios esclarecidos que não sinto o equilíbrio vacilar - que te adivinho ponderado. É neste urro solto e decidido que vejo uma pessoa com um coração aberto nas mãos, sempre pronta a amar e a dar o que de melhor tem de si.

Tu deves ser um Homem muito mais interessante - e importante - do que imaginas, Sócrates.)

Luís Galego disse...

entre tanto odio, desconfio que existe aí um bom ser humano, que apenas entrou no casting errado....mas a vida não acaba hoje...certo?

Socrates daSilva disse...

Pinguim,
Não fiques triste, meu amigo! Apenas tive que gritar para não rebentar. Sei que estás disponível como um bom ouvinte, mas nestes dias não me sinto um bom comunicador. Isto há de ter um intervalo.
Obrigado pelo abraço. Outro para ti e até já!


Catatau,
Nem sei que te hei de responder, meu amigo…
Mas, obrigado pelas tuas palavras.
Abraço


Luís,
Eu não quero que a vida acabe, não…
Abraço

altar disse...

MMM...
Talvez possa ajudar pensares também no que amas e tirares daí as forças para olhares o que gostas menos e ultrapassares tantos ódios...
Abraços fortes!

Special K disse...

meu caro Sócrates acho que o Arion disse por melhores palavras tudo o que eu tinha para dizer. Não é fácil dar sugestões nem dizer se fosse eu faria assim ou assado. Só posso dizer que ódios nada resolvem tu é que tens que decidir o que queres fazer da tua vida.
Não nos conhecemos pessoalmente mas aconteça o que acontecer também tens o meu apoio.

Um abraço.

Socrates daSilva disse...

Altar,
Obrigado! Creio que existe mesmo a necessidade de continuar nesse caminho.
Abraço


Special k,
Eu escrevo aqui o que por enquanto não posso dizer a ninguém. O que agradeço? Quem tem paciência para me escutar, quem me garante que não sou o único com estas coisas, quem me fala sobre o que é a realidade, quem concorde e quem aponte onde estou a errar. Como é lógico não espero uma "lâmpada do Aladino" com a solução!
Obrigado pelo tua presença constante.
Abraço

sp disse...

E eu gosto muito de ti...

Socrates daSilva disse...

Sp,
(agora não sei mesmo que te dizer...)
Obrigado pelas tuas palavras. Eu gosto muito de estar aqui e ter a tua companhia. Gosto mesmo!
Abraço

Paulo disse...

Amigo, agora que regresso aos comentários, quero dizer-te que até é bom odiar desde que faça parte de um processo em desenvolvimento (desculpa a redundância), em evolução. A vida tem destas coisas, as más, mas o sorriso idiota é bom, o que se sente nem sempre é mau, o desejo até é muito bom... a ignorância magoa e mata, é um facto. as lágrimas aliviam a alma. e o ódio puro e duro é tão negativo como não odiar o que nos faz mal. o mar e o sol podem ajudar a limpar isso tudo! e fugir! e evoluir! e mudar... sei lá. o problema é que também aqui não há fórmulas mágicas!

Um abraço

Socrates daSilva disse...

Paulo,
Primeiro, que bom ter aqui um teu comentário novamente. É sinal que estás um pouco mais desafogado na tua rotina. Sei que sempre estiveste presente.
Em relação a odiar, fazes uma boa análise. Se odeio algumas coisas mencionadas é porque me sinto paralisado, atrofiado e enterrado. E elas doem, e continuam a doer…
Mas, este ódio não me deixa acomodar. Não me deixa continuar impávido e sereno nesta imitação fraca de vida.
Nesse dia necessitava mesmo de, pelo menos, escrever o que sentia. A minha vontade era partir alguma coisa acredita. (assim, ficou menos dispendioso – LOL)
Não espero fórmulas mágicas, não. Vou ver…
Abraço

Paulo disse...

ah, ando a pôr em dia alguns posts do passado. não tenho tempo para todos, mas espero redimir-me de uma boa maquia.
espero que não pares nunca, que expludas esse ódio todo, porque, como dizes, é muito mais económico e sempre recebes umas palavras de consolo!
um abraço