domingo, 4 de maio de 2008

Com a palavra MÃE como ponto de partida

Não simpatizo muito com a ideia de dias marcados para gerir os nossos afectos. Assim, que ser hoje o dia da mãe não é algo que mexa muito comigo. Mas, de tanto se falar do tema acabo por pensar um pouco mais no assunto (se calhar é esse mesmo o objectivo dos dias especiais). Assim, que dei comigo a divagar sobre o tema mãe.


1

Admirar a que tenho. Não apenas o excelente e sobre humano trabalho de criar filhos como criou. O de continuar a ser o elo emocional que nos mantêm unidos quando a vida nos leva para lugares diferentes. A mãe que nos liga, nos faz estar juntos em certas alturas, que impede que a azafama do dia a dia arrefeça os laços.

A mãe que há muito tempo está preocupada comigo, e que com o seu sentido materno sabe algo se passa na minha cabeça e nos meus sentimentos. E que tenta suavemente tirar algo para fora. A mãe a quem tenho medo de despedaçar o coração com o meu futuro.


2

As mães inexistentes em tantas crianças que vivem nas ruas, seja no Brasil, em Angola ou noutros locais do mundo. As mães que brutalmente desapareceram da vida destes seres e que tanta falta lhe faziam.


3

As mães que por egoísmo, ignorância, estupidez ou pura maldade, matam seus filhos, fecham os olhos quando são maltratados ou abusados ou negligenciam-nos emocional ou fisicamente.


4

As mães são um alicerce essencial para qualquer humano. Sejam mães biológicas ou as muito importantes mães adoptivas. As mães não merecem um dia. Merecem mais que um ano, um século ou um milénio. Merecem a eternidade! As mães nunca deviam faltar ou morrer.

9 comentários:

Paulo disse...

E divagas muito bem! Faço minhas as tuas palavras!

Catatau disse...

Já viste que com um ponto de partida de três letras, chegaste a considerações tão bonitas?!
Estou contigo: um abraço muito apertado às mães que o sabem ser.

Hydrargirum disse...

E com 3 letrinhas apenas se escreve a palavra Mãe....!!!
Só há uma, há que estimá-la sempre:)

Abraço:)

pinguim disse...

Todos os items são preciosos, mas o primeiro focou algo importante: as mães podem não saber as "coisas", mas adivinham...
Um abraço para ti e beijinhos para as Mães que "conheces".

Moi disse...

Gandas Mães, que nos parem e/ou educam e acompanham, sempre (mesmo quando já não estão cá!)
Abraço

Special K disse...

Quem tem uma mãe tem tudo. Eu posso dizer que tenho tudo.
Um abraço

Socrates daSilva disse...

paulo,
catatau,
hydrargirum,
pinguim,
moi,
special k,

Unidos em ser gratos a tão espectaculares mulheres. Mãe só há uma. A de cada um.
Beijinhos ás vossas.
E quem já não a tem no seu convivio também um sentido abraço pela memoria

Oz disse...

Já todos sabemos que estas datas são aproveitadas comercialmente e que dia das mães devem ser todos, blá, blá, mas estou contigo: não vem mal ao mundo que a data nos sirva para, de repente, pararmos e nos lembrarmos de dar apreço aquilo que, por vezes, na lufa lufa das horas, tomamos como garantido e certo.
Abraço.

Socrates daSilva disse...

Oz,
É mesmo! E o apreço pelo que temos de bom deve sempre estar vivo.
Abraço