sábado, 3 de maio de 2008

Maskharah

Afonso, Afonso. Estás ai?
A chamada repentina fez-me ascender á realidade. Quanto tempo tinha passado? Senti o meu semblante arrefecido. Tinha perdido a noção do tempo…

Estou aqui. Vim buscar uma coisa…
Apenas recordo ter aberto a janela de par em par atraído por um chamativo e escarlate sol a mergulhar no horizonte. Hipnotizante! Foi o pretexto perfeito para ter um momento só meu. Os meus pensamentos começaram então a ziguezaguear a uma velocidade cada vez maior, até que me chamaram. Fixei novamente o horizonte. Onde à pouco estava um semicírculo de fogo, agora só deslumbrava uma leve faixa clara rodeada de escuridão. A escuridão crescente que sempre acaba por tragar tudo.

Afonso… Estão a perguntar por ti lá em baixo. Aconteceu-te alguma coisa?
Não, Não. Já desço…

Perguntavam por mim… Curioso este eufemismo.
Poderiam dizer que estranhavam a minha saida e que agora queriam-me junto deles. Controlado.

Lá teria que ser. Mas, não sem antes mais um olhar para fora. A escuridão fazia indistinta a linha do horizonte. Mas, o que é que eu queria ver? Nada em especial. Tudo em geral. Fechei a janela com delicadeza. Como se ela tivesse sido a cúmplice fiel de um segredo escabroso. Corri as cortinas parecendo que queria deixar tudo sem vestígios de ter sido usado. Só faltou mesmo limpar as impressões digitais…

Fechei brevemente os olhos. Seria alguém capaz de ler neles os meus devaneios? As minhas batalhas mentais? A ânsia de que por alguma absurda razão aquele pôr-do-sol fosse portador de esperança?

Desci. Devagar. Cada passo meu era deliberadamente lento para fazer-me demorar o mais possível.

(Perguntavam por mim…)
O que eu lhes poderia dizer se quisessem realmente perguntar por mim! Perguntem, perguntem… Por exemplo podiam começar por querer saber a razão de qualquer pretexto servir para eu querer estar só. Perguntem também porque o silêncio era a minha conversa predilecta. Ou então perguntem porque por vezes parece que estou a olhar para onde não está ninguém. Querem eles lá perguntar isso… Não podiam fazer o favor de se esquecerem de mim?

Ao aproximar-me vi pela porta o ambiente. Já a mesa estava vazia. A azáfama de conversas fúteis e gargalhadas de conveniência girava agora em volta da lareira.
Hoje estava mesmo sem apetência para aquele ambiente. Mas respirei fundo e ensaiei o meu melhor sorriso. Queriam espectáculo, iam ter espectáculo!

Afonso, pensávamos que tinhas fugido!
Isso queria vocês… Olhem recebi um e-mail com uma piada engraçada sobre…

12 comentários:

Rato do Campo disse...

Ooohh, como eu entendo bem essa parte final do teu texto... É como dizia a outra, que estava morta por dentro, mas que continuava de pé, como as árvores... Abraço!

Special K disse...

Há momentos simples mas que são únicos e só nossos.
Um abraço.

pinguim disse...

"Maskharah"!!!
Abraço.

Socrates daSilva disse...

rato do campo,
Vamos a ver se a árvore se aguenta com tanta falta de seiva.
:-))
Abraço

special k,
Esses momentos por vezes são o céu, por vezes são o inferno.
Abraço

pinguim,
Sem exclamações...
É a realidade possivel.
:-)
Abraço

The Unfurry Swear Bear disse...

Isso faz me lembrar o tempo que estava em casa dos meus país, até escapar/fugir e partir para Lisboa á aventura, só com uma mala, faz agora mais ou menos 11 anos... isso deve ser coisa do meu ascendente sagitário, o aventureiro haha

Kokas disse...

Mais vale quebrar que torcer. Neste caso, nem uma coisa nem outra!

GRANDE!!

Aquele abraço

Socrates daSilva disse...

Unfurry,
Eu não tenho grande crença nisso dos signos, mas agora achei graça, porque também sou Sagitário. Mas acho que o pessoal de outros signos passam pelo mesmo…
Abraço

Kokas,
Tens razão. Quebrar estraga um bocado a espinha, e torcer também deve dar as suas dores…
Olha, vai-se fazendo pela vida em…
GRANDE

Abraço

Tongzhi disse...

Estou a fazer um bom exercício - pensar qual seria a tal piada engraçada :P
Também cá cheguei.
Aliás já cá tenho estado, mas tinha receio que andasse por aí a Milu lololol
Mas já percebi que o nome é apenas coincidência :P

The Unfurry Swear Bear disse...

oh eu sou Virgem com ascendente sagitário ;), mas também não acredito muito nisso, é só mais na brincadeira hehe, alias dizem que os virgens são organizados e assim, e eu sou... mmm caotico haha

Socrates daSilva disse...

Tongzhi,
Essa é a essência da hilariedade… A tua imaginação...
:-)))
A única Milu que gosto é a do Tintim!
Obrigado pela visita. Abraço.

Unfurry,
Ascendente? Que quer isso dizer? É os signos dos progenitores?
(Olha que nestes assuntos eu é que estou… virgem. LOL)
Espero alguma consulta da Maya. Haha…

Catatau disse...

Sei como te sentes. Mas já aprendi de tal modo a lidar com as situações que, hoje em dia, convivo naturalmente com os meus mundos. Tu vais lá! :)

Socrates daSilva disse...

Catatau,
Obrigado pelo teu voto de confiança!
Abraço