quarta-feira, 18 de março de 2009

Del Amor Desesperado







La noche no quiere venir
para que tú no vengas,
ni yo pueda ir.

Pero yo iré,
aunque un sol de alacranes me coma la sien.

Pero tú vendrás
com la lengua quemada por la lluvia de sal.

El día no quiere venir
para que tú no vengas,
ni yo pueda ir.

Pero yo iré
entregando a los sapos mi mordido clavel.

Pero tú vendrás
por las turbias cloacas de la oscuridad.

Ni la noche ni el día quiren venir
para que por ti muera
y tú mueras por mí.



Poesia de Federico García Lorca



(Isto hoje extravasou um bocado... Deve ser o efeito do post 200!)

7 comentários:

Ophiuchus disse...

Pois do 2, dois zeros, alguém virá - mais consciente e desperto para (te) amar...

Parabéns pela perseverança (venham mais tantos...)
Abraço

free_soul disse...

Sim...pode ser ou não ser!!!
Amor...enfim palavra complicada e simples ao mesmo tempo.
Um beijo

Socrates daSilva disse...

Ophiuchus,
Infelizmente nesta “história” de amar e ser amado, o zero sou eu…

(Perseverança? Sempre!)

Abraço!


Free_soul,
Ser a culpa dos “200”?
Como dizes, e muito bem, "simples e complicado ao mesmo tempo".

Bjs

Tongzhi disse...

200 é um número bem simpático, redondinho!!!
E quanto ao amor??? Ele aparece mas temos de dar "uma abertura" para ele entrar....

Socrates daSilva disse...

Tongzhi,
Essa "abertura" é que é...
Abraço!

No Limite do Oceano disse...

Pensava eu que ficaria desesperado por amor, agora não. Talvez seja um dos meus erros. O resto além de ser conversa, são peças do meu puzzle.

*Hugs n' smiles*
Carlos

Socrates daSilva disse...

Carlos,
Pode ser um lugar-comum dizer isto, mas creio que o amor talvez seja o sentimento mais falado e o menos entendido deste planeta.
Por vezes pergunto-me se não será uma daquelas utopias que como humanos cultivamos imemorialmente.

Cada um tem os seus caminhos, os seus sonhos, enfim… como dizes muito bem, os seus puzzles.
Abraço!